Esferas para braille.

Quando o assunto é acessibilidade e inclusão, as esferas têm um papel fundamental e no artigo de hoje abordaremos as suas principais aplicações.

Quando pensamos no braille, precisamos entender que se trata muito mais do que apenas uma linguagem, é uma das formas que as pessoas com deficiência visual têm de interagir com o mundo.

Em 4 de janeiro é comemorado o dia mundial do Braille. A data foi instituída para chamar a atenção da sociedade sobre a importância de assegurar formas de inclusão de deficientes visuais também na escrita e no acesso como a livros, por exemplo.

Você sabia que a Intebra contribui significativamente para que pessoas com deficiência visual tenham mais facilidade na escrita? Fornecemos as melhores esferas para canetas braille, sempre buscando meios de ajudar e incentivar a inclusão de todos. E já que tocamos no assunto, vamos verificar como funcionam esse tipo de caneta.

Esferas para caneta braille, como funciona

caneta braille

O sistema de Braille, é um código de 63 padrões de pontos em alto-relevo, chamados caracteres.

Os deficientes visuais utilizam o tato para conseguir identificar cada letra do alfabeto braille, pois os círculos estão em relevo. Sendo assim a caneta braille precisa seguir o mesmo critério, inserindo todos os caracteres em alto-relevo.

Dado esse fato, percebemos como a qualidade das esferas é importante para facilitar a sensibilidade do leitor.

Embalagens com braille

embalagem braille

Alguma vez você já foi ao supermercado e encontrou alguma embalagem com escrita braille? Não? Pois é…

Infelizmente apenas remédios e produtos farmacêuticos são obrigados a utilizar a linguagem para deficientes visuais, deixando-os à mercê de informações como prazos de validades e valores nutricionais.

Poucas são as empresas que se preocupam com a inclusão a ponto de investir em embalagens com escrita braille por exemplo.

Sinalização para deficientes visuais

placas sinalização braille

Aqui o caso é outro. Segundo o decreto 5.296 sancionado em 02/12/2004, torna-se obrigatório que os estabelecimentos (hotéis, hospitais, empresas, rodoviárias, aeroportos, escolas, shopping etc.), atendam às pessoas deficientes visuais ou com visão limitada por meio da implementação das normas e acessibilidades, que visam sinalizações específicas nos ambientes, utilizando por exemplo placas em braille.

Existe inclusive normas específicas para produção dessas placas, como por exemplo a norma ABNT NBR 9050, onde exige que essas placas sejam fabricadas em aço, inox, acrílico ou PVC e sendo posicionada estrategicamente para facilitar a comunicação para os deficientes visuais.

Ainda estamos muito longe da perfeição quando o assunto é inclusão, mas o fato é que precisamos nos mover e se adequar cada vez mais para que essa seja uma realidade em nossa sociedade.

A Intebra apoia totalmente iniciativas que facilitem a inclusão de todos. Juntos somos mais fortes.